clique AQUI para ler a reportagem deste eco-evento, publicada no jornal Notícias da Trofa



* daqui a algumas semanas, vamos lançar um repto - aliás, para ser mais ecológico, diria, um réptil - relativo a uma caminhada mais elaborada, já com percurso definido e outras actividades, em pleno Vale do Coronado. Fique atento e... receptivo! ;)



para já, a APVC destaca e apoia a iniciativa da Terra Viva, associação de ecologia social clique AQUI inserida no CAMINHAR C'A Gente, do âmbito do Programa de Apoio ao Associativismo Juvenil, IPJ 2009.

domingo, 22 de Fevereiro, das 10 às 18 horas
S. Romão e S. Mamede do Coronado (Trofa/Porto)

Desde há pelo menos dois anos que o Estado tenta impor na zona de reserva agrícola do Vale do Coronado, entre a Maia e a Trofa, um projecto de “Plataforma Logística” – uma espécie de interposto de grandes armazéns e depósitos de contentores para transporte de mercadorias – que a ser feito porá em risco a continuação da actividade agrícola que envolve várias cooperativas agrícolas e famílias de pequenos agricultores daquela região. De momento, o atentado contra esta zona agrícola encontra-se suspenso (talvez por ser ano de eleições…) mas poderá a qualquer altura ser levado a efeito - se a resistência das populações e de quem com elas se solidarizar não se tornar efectiva!

Sendo uma zona de amplos prados e alguma floresta, inserida na Área Metropolitana do Porto, a sua “cimentação” constituirá um atentado à já por si débil “qualidade de vida” das populações locais e envolventes. É POR ISSO QUE A TERRA VIVA VAI LÁ VER COMO É!

encontro
>> às 9h30, na entrada da estação de comboios de S. Bento (vamos de comboio para S. Romão do Coronado, viagem de cerca de meia hora). Regresso ao Porto cerca das 18h30;
>>
ou às 10h, no parque da estação de comboios de S. Romão do Coronado.


por favor, trazer (obrigatório)
– 2,80 Eur. (para ida-volta via comboio);

– mochila com farnel para almoço e garrafa(s) de água;
– sapatos fortes ou botas para caminhar;
– chapéu ou boné;
– impermeável (caso chova);

– autorização de encarregado de educação se for menor de 16 anos;
– boa disposição.


facultativo (mas mui aconselhável)
– máquina fotográfica/vídeo;
– bloco de apontamentos e caneta/lápis;
– guia de plantas silvestres e/ou de avifauna;
– binóculos;
– vara de caminhante.

infolines
– 967 694 816 (Terra Viva)
– 966 862 294 (vítor sá/APVC)


nota importante: este eco-evento incluirá agradável contacto com os burros do Coronado – sim, o Spud e a Lola, caso eles assim se predisponham, até porque o bem-estar animal é fundamental!

ah!, nota não menos importante: também poderá incluir um pestilento odor made in Savinor, cuidado... traga máscara!!!




clique AQUI
para ler a entrevista sobre o Vale do Coronado, com a APVC
in Jornal Notícias da Trofa, 12 de Fevereiro






Logística: SOMAGUE diz que plataforma Maia/Trofa "não é rentável" na actual situação de crise

A construtora SOMAGUE, promotora da Plataforma Logística Maia/Trofa, considera que o projecto "não é rentável" na actual conjuntura mundial, pelo que decidiu abandona-lo até que as circunstâncias se alterem, disse hoje à agência Lusa fonte da empresa.

Para a SOMAGUE, "esta plataforma é um projecto com falta de rentabilidade no actual momento de crise mundial", afirmou a fonte. Nesse sentido, assegurou que a paragem do processo, hoje revelada à Lusa por fonte do Gabinete para o Desenvolvimento do Sistema Logístico Nacional (GabLogis), "não está relacionada com qualquer problema de capacidade da empresa". "O que se passou é que houve uma reanálise do projecto e foi considerado que, nesta altura, ele não é rentável", frisou a fonte da construtora.

A Plataforma Logística Maia/Trofa tem um investimento previsto de 232 milhões de euros , dos quais 224 milhões são destinados à construção da plataforma e os restantes oito milhões para a construção dos acessos.


Segundo uma fonte do GabLogis, na sequência da posição da SOMAGUE "poderá ser necessário" encontrar um novo promotor para esta plataforma logística, admitindo também a escolha de um novo local para a sua construção.


A localização da Plataforma Logística Maia/Trofa situa-se no denominado Vale do Coronado, abrangendo terrenos da Reserva Agrícola Nacional, o que tem gerado alguns protestos de ambientalistas locais.
Nesse sentido, foi lançada, a 19 de Outubro de 2008, uma campanha contra a construção da plataforma naquele vale agrícola, liderada pela denominada rede de cooperação CONVERGIR, que envolve cerca de duas dezenas de associações de ambiente, urbanismo e ordenamento do território.

A Rede Nacional de Plataformas Logísticas, apresentada pelo Governo em Maio de 2006, envolve um investimento global de 1,7 mil milhões de euros.
A Plataforma Logística Maia/Trofa foi concebida para dar apoio logístico à Área Metropolitana do Porto, sendo também um complemento logístico ao Porto de Leixões. A sua construção pretende dar um novo impulso ao desenvolvimento económico local e regional, através da reorganização dos fluxos logísticos provenientes da região litoral Norte de Portugal, da Galiza e da Beira Alta.

FR/Lusa/Porto, 10 Fev
in Jornal de Notícias, LER AQUI