E, pronto, mais uma jornada em prol da sustentabilidade. Na manhã do passado dia 24 de Novembro, em apenas duas horas, cerca de 20 voluntários do AMO-Portugal-Trofa e da APVC plantaram 537 árvores autóctenes em Covelas. Iniciativa integrada no Florestar Portugal 2012.
Eis o report na Trofa TV  clique AQUI






















Viva!
E para quem faltou ao mais recente evento da APVC, nada como ler o report que se segue e... reflectir! ;)















 



Depois do workshop Orquídeas - Conselhos e Cuidados, de 29 de Setembro último (com 71 participantes), a APVC — Associação para a Protecção do Vale do Coronado — realizou, no passado sábado,  mais um workshop (gratuito), desta feita, relativo ao tema Agricultura BioLógica, evento integrado na programação eco do Smed Fest - Festival de Música e Artes Modernas, em São Mamede do Coronado, na antiga fábrica Pesafil (mítico atelier-fábrica do escultor Thedim) .

A formação registou 84 participantes, bastante interessados e curiosos na matéria, vindos de vários pontos do País: Braga, Viana do Castelo, Coimbra, Porto e tudo-à-volta; curiosamente, os habitantes locais (em particular, os agricultores) continuam a estranhar a tal "agricultura sustentável, bio-agradável, do tempo dos nossos Avós", contudo, de registar, especialmente, a participação de uma animada delegação da Santa Casa da Misericórdia da Trofa.

Já agora, um alerta para as faltosas Câmara Municipal da Trofa e Junta de Freguesia de São Mamede do Coronado ainda nada receptivas a estas práticas agrícolas amigas do ambiente — tais instituições públicas, pelo que se ouve, até têm felizes ideias de criação de hortas biológicas comunitárias, mas, ó Senhores, fica o desafio: primeiro, é preciso saber como se faz e depois, sim!, passar das ideias à prática!



Ao longo de duas horas, destacaram-se as bases da Agricultura Biológica, o solo, a fertilização, as pragas e as infestantes, as tarefas e muito mais. A burra transmontana Lola também participou activamente nesta formação e, perante o discurso do formador, não se quis ficar e... brindou a plateia com valentes zurradelas e até empatia com os miúdos que a nomearam Princesa do Smed Fest.

Dadas as adversas condições meteorológicas, um dos dois burros inicialmente alinhados recusou-se a sair de casa; a chuva alterou o plano inicial e, assim, este evento não foi realizado ao ar livre, mas, para 2013, a APVC avança com a promessa (que não é de vidro!) da realização de um curso mais completo, numa horta, para que todos possam bulir e... aprender.